---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Saúde
Dezembro vermelho marca luta contra Aids em Siderópolis

Publicado em 06/12/2018 às 17:28 - Atualizado em 06/12/2018 às 17:28

Outubro Rosa, mês dedicado em especial à saúde das mulheres, Novembro Azul, mês destinado à saúde dos homens. Dezembro Vermelho mês em que os sexos se unem por uma só causa, a luta contra a Aids. Em Siderópolis, dezembro ganha ênfase na saúde da população.

O Governo Municipal já deu início nas realizações de testes rápidos para identificar o vírus HIV e, durante todo o mês, as Unidades de Saúde (UBSs) estarão realizando testagens.

“É de suma importância levar informações precisas e instantâneas aos moradores que precisam atentamente de nossa ajuda e esclarecimentos. Realizar testes faz com que todos fiquem atentos com à sua saúde”, comentou o prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa, o Alemão.

Ainda no mês de dezembro, a Secretaria Municipal de Saúde irá realizar uma ação em uma empresa da cidade abordando o tema e realizando testes rápidos.

AIDS NÃO DÁ SINTOMAS

Causada pelo HIV (vírus da imunodeficiência humana), a AIDS não costuma dar sintomas a não ser numa fase mais avançada da doença. Ela enfraquece o sistema imunológico do ser humano, deixando-o mais vulnerável a outras doenças e à contaminação por vários tipos de vírus. A pessoa contaminada pode demorar até dez anos para desenvolver algum sinal da doença. Isso significa que alguém aparentemente saudável pode estar contaminado e apto a transmitir o vírus. A única maneira segura de fazer o diagnóstico da infecção é pelo exame periódico de sangue.

Em estágio avançado, o doente costuma manifestar sintomas de outras doenças, causadas por vírus ou bactérias que se aproveitam da fragilidade do organismo para se manifestar. As doenças mais comuns são pneumonia, tuberculose e sarcomas de Kaposi. O vírus é transmitido por meio de fluidos do corpo humano, como esperma, secreções vaginais, sangue e leite materno. Portanto, as formas de transmissão do HIV de uma pessoa contaminada para outra são relação sexual sem proteção (vaginal, anal ou sexo oral), transfusão de sangue, uso compartilhado de seringas entre usuários de droga e a transmissão da mãe para o filho (o bebê pode ser contaminado durante a gestação, no parto ou pelo leite materno)